O que você sabe sobre envelhecimento ativo? Confira!

envelhecimento ativo
14 minutos para ler

Por muitos anos, envelhecer foi visto como algo abominável, uma sentença de uma vida limitada e cheia de complicações. Hoje, felizmente, isso ficou no passado e sabemos que é possível ganhar anos e, ao mesmo tempo, aumentar a sua felicidade e qualidade de vida.

Para isso, no entanto, é preciso que saibamos quais são os pilares do envelhecimento ativo, processo que determina que podemos envelhecer com qualidade e conscientes sobre a nossa própria saúde e alegria. Sendo assim, devemos saber como isso pode auxiliar os idosos e de qual maneira os pilares dessa prática podem ser adotados em nossa sociedade.

E então, você sabe o que é o envelhecimento ativo? Nos próximos minutos, falaremos sobre os seus pilares e vantagens, mostrando a necessidade de investirmos cada vez mais nesse conceito. Acompanhe-nos nesta leitura para saber mais.

O que é o envelhecimento ativo?

Partindo do princípio de uma nova conscientização social, cujo objetivo é oferecer qualidade de vida para todas as idades, sobretudo para os idosos, o conceito de envelhecimento ativo consiste na otimização das oportunidades de colocar em prática os pilares do envelhecimento saudável definido pela OMS. 

Entre estes pilares, estão os cuidados com a saúde bem como segurança de pessoas idosas, além da participação e principalmente do aprendizado ao longo da vida.

Todas estas práticas têm como principal meta melhorar a qualidade de vida à medida que as pessoas envelhecem, oferecendo aos idosos o respeito e dignidade que eles merecem. Dessa maneira, o envelhecimento ativo favorece as pessoas, dando-lhes a possibilidade de se sentirem muito mais ativas e incluídas em seus meios sociais. 

Quais são os pilares do envelhecimento ativo?

Tratando-se de questões de saúde e qualidade de vida, o termo “envelhecimento ativo” origina-se de uma prática cujo principal foco é a saúde mundial e a motivação dos idosos. 

Os pilares dessa prática foram definidos pela OMS (Organização Mundial da Saúde), em 2005, com a proposta de garantir às pessoas idosas o acesso à participação social, segurança, saúde e aprendizado ao longo da vida. 

Vejamos uma abordagem detalhada destes quatro pilares de acordo com a Organização Mundial da Saúde:

  • saúde: estabelecer objetivos que se concentram nas melhorias na saúde dos idosos, promovendo, portanto, redução e prevenção de deficiências, doenças crônicas, e principalmente mortalidade prematura no processo do envelhecimento;
  • participação: reconhecer e permitir a participação ativa dos idosos em atividades que envolvam trabalho informal e formal, bem como em atividades voluntárias, desenvolvimento econômico, tudo isso respeitando suas preferências, capacidades e necessidades individuais;
  • segurança: considerando ser uma etapa da vida em que o indivíduo se tornar mais vulnerável, então a segurança para pessoas idosas consiste em assegurar-lhes proteção, respeitando suas necessidades e direitos à sua segurança social, financeira, patrimonial, física e emocional;
  • aprendizado ao longo da vida: consiste em permitir que os idosos desenvolvam e valorizem seus potenciais e habilidades durante sua vida inteira, promovendo-lhes a confiança que necessitam para se adaptarem e permanecerem independentes à medida que envelhecem.

Com base nesses quatro pilares fundamentais, o envelhecimento, de acordo com a OMS (2005), deve ser vivido de uma maneira ativa e principalmente saudável. Para isso, é preciso que se considere a importância do envelhecimento ativo na vida dos idosos e de que maneira isso pode lhes trazer benefícios e qualidade de vida.

Qual é a importância do envelhecimento ativo?

Por que é tão importante adotar o conceito do envelhecimento ativo? É bastante simples de entender: com o aumento mundial da expectativa de vida, torna-se necessário que práticas como estas sejam aplicadas de modo que os idosos tenham uma merecida qualidade de vida.

Só para se ter uma ideia, segundo dados da OMS, até o ano de 2025, a estimativa é que o Brasil chegue à sexta posição como o país com maior número de idosos no mundo inteiro. Somente entre os anos de 1980 e 2000 a população com idade igual ou superior a 60 anos teve um crescimento de aproximadamente 7,3 milhões de pessoas.

No entanto, a desinformação acerca da saúde de indivíduos mais velhos, seus desafios e particularidades do envelhecimento populacional em nosso contexto social ainda é grande. Partindo desse princípio, adotar práticas que possam acompanhar o curso da vida para manutenção e, acima de tudo, melhorias em sua saúde, bem-estar e qualidade de vida, é de suma importância para atuais e futuras gerações.

Quais são os fundamentos do envelhecimento ativo?

Em síntese, as práticas que valorizam o indivíduo como um todo, sobretudo aquelas que se concentram na inclusão de pessoas idosas no meio social com respeito e dignidade, vêm ganhando notoriedade e cada vez mais planejamento para que os idosos possam envelhecer de maneira saudável.

Partindo desse princípio, existem alguns fundamentos básicos que compreendem a prática do envelhecimento ativo. Seguindo esses pilares, o processo natural do envelhecimento ativo torna-se muito mais saudável para o indivíduo. Entre alguns destes, podemos destacar:

  • estilo de vida saudável: através de hábitos salutares (alimentação, exercícios físicos e mentais etc.), pessoas idosas têm muito mais chance de alcançar a longevidade com saúde e qualidade de vida;
  • preservação da saúde mental, física e emocional: é importante, neste aspecto, destacar que o envelhecimento ativo também mantém seu foco na integridade física, saúde mental e principalmente emocional do indivíduo idoso;
  • integração social: o envelhecimento ativo também tem como proposta a integração social do idoso, rompendo o estigma de que ele deva apenas ficar em casa, e proporcionando meios para que possa integrar-se na sociedade de maneira muito mais ativa, sem que sofra preconceitos.

E os desafios do envelhecimento ativo? Quais são?

Embora nos últimos anos a maneira como as pessoas tratam os idosos esteja passando por mudanças, ainda assim a discriminação etária e a falta de cuidados com os mais velhos é algo latente em nossa sociedade. Neste sentido, o envelhecimento já se torna, portanto, um desafio para muita gente, já que por muitos ele ainda é tratado com descaso.

Esse descaso também acontece principalmente nas questões de tratamento de saúde, uma vez que os órgãos de saúde no Brasil precisam ser capazes de cuidar do envelhecimento à luz da Gerontologia.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde, esse quadro tem que mudar. Para a OMS, o enfoque necessário para enxergar o envelhecimento e construir um mundo favorável para os idosos precisará de uma mudança nos sistemas de saúde, de modo que possam oferecer, acima de tudo, uma prestação de atenção centrada e integrada nas suas verdadeiras necessidades.

No entanto, para vencer esse desafio é necessário que algumas questões referentes ao envelhecimento sejam modificadas e abordadas, e que o processo de avanço etário não seja tratado com negligência. Dessa maneira, será muito mais fácil auxiliar o idoso a garantir seu envelhecimento ativo.

Como podemos garantir um envelhecimento ativo?

Fazer com que pessoas idosas consigam manter sua autonomia e independência no curso do envelhecimento se tornou uma meta essencial, não somente para a saúde física como também para que se sintam ativamente incluídas em nossa sociedade promovendo, portanto, seu bem-estar emocional.

Portanto, a fim de garantir um envelhecimento ativo e saudável, colocaremos em pauta algumas dicas importantes para que os idosos consigam vencer os desafios por meio de boas práticas, das quais falaremos mais adiante.

Quais são as boas práticas para envelhecimento ativo e saudável?

Cultivando boas práticas para se conseguir conquistar um envelhecimento ativo, o idoso então poderá ter uma vida muito mais digna e saudável. Dessa maneira, adotar os pilares da prática do envelhecimento ativo é fundamental para que consigam enfrentar seus desafios. 

Veja adiante algumas boas práticas baseadas nos pilares do envelhecimento ativo.

Integração social

A integração social pode ser realizada de diversas formas, que incluem desde visitas a amigos e familiares até atividades e tarefas regulares que estimulam o cérebro do indivíduo à interação ativa com diversas pessoas de variadas culturas e diferentes rotinas.

Um exemplo de integração social é participar de caminhadas, grupos de ginástica, grupos de viagens, bem como natação, também grupos de exercícios físicos, academia, jogos e principalmente reuniões de pessoas que compartilham de um estilo de vida em comum.

Evite diminuir as capacidades físicas e mentais do idoso

Essa dica vale para familiares e pessoas próximas ao indivíduo: nunca trate o idoso com ageísmo, isto é, tratá-lo como incapaz e preconceito, mesmo que ele apresente uma queda em suas capacidades cognitivas. Muitos ainda enxergam idosos como inaptos a determinadas tarefas. A verdade é que a incapacidade física ou mental nem sempre é proveniente da idade.

Segundo o relatório da OMS, é evidente que a perda de habilidades físicas e cognitivas — comumente associadas ao envelhecimento —, na verdade, tem uma relação vaga com a idade cronológica de uma pessoa. Não existe, de fato, um padrão (uma regra) para isso. Por isso, evitar ao máximo um tratamento decadente com pessoas idosas irá ajudá-los a se sentirem emocionalmente melhores.

Evite estigmatizar pessoas idosas relacionando idade com dependência

Outra questão a ser colocada em pauta provinda do relatório da Organização Mundial da Saúde é que nem sempre os problemas de saúde que causam dependência estão relacionados à cronologia, mas sim de eventos e experiências que podem moldar o seu corpo físico e mental à determinada enfermidade.

“A diversidade das capacidades e necessidades de saúde dos adultos maiores (IDOSOS) não é aleatória, e sim advinda de eventos que ocorrem ao longo de todo o curso da vida e frequentemente são modificáveis”. É possível ressaltar dessa forma a importância de enfocar no ciclo de vida para que seja possível compreender o envelhecimento de maneira abrangente.

Seja autêntico no seu envelhecimento

Ainda que a convivência dentro de normas sociais seja necessária, a dica aqui é não se diminuir diante de preconceitos e tabus impostos pela sociedade. Seja autêntico e não reduza suas capacidades e desejos em função do que outras pessoas pensam ou estipulam.

Basicamente, não viva em função do que os outros decidem por você. Valorize-se e, principalmente, busque satisfazer-se realizando, de fato, aquilo que gosta de fazer, mesmo que para muitos a sua escolha seja considerada pela sociedade inadequada à sua idade. Muito importante também: viva a sexualidade sem tabus e preconceitos! O mais importante sobre tudo isso: faça o que gosta com amor, respeito e sabedoria.

Como cultivar hábitos saudáveis para um envelhecimento ativo?

Para chegar no envelhecimento de maneira ativa e com saúde, é importante também que o indivíduo cultive hábitos saudáveis e não se renda a vícios da idade, muitas vezes relacionados ao emocional e às mudanças físicas e mentais que ocorrem com o corpo. Portanto, algumas dicas para manter um estilo de vida salutar são importantes. Veja abaixo como ter uma rotina saudável.

Prática de exercícios físicos

Manter uma rotina de atividades físicas é essencial para que o envelhecimento ocorra de forma ativa e saudável. Além disso, o exercício físico regular também ajuda a manter o oxigênio cerebral em constante fluxo. Dessa maneira, a prática desportiva não apenas estimula a saúde física como a saúde mental.

Alimentar-se adequadamente

Optar por uma rotina alimentar adequada é importante para garantir um envelhecimento ativo e salutar. Fazer boas escolhas na hora de comer consiste em ingerir alimentos benéficos para o organismo, com nutrientes dos quais o corpo necessita para reduzir o risco de doenças e problemas de saúde. Portanto, faça boas escolhas.

Realizar atividades diferentes

Não fique na mesmice! O envelhecimento ativo consiste na busca por novas atividades e, consequentemente, pela descoberta de novas facetas sobre si mesmo que ainda não são conhecidas.

Aprender coisas novas

Isso inclui o aprendizado de novas coisas. Nunca é tarde para aprender a dançar, a tocar um instrumento, desenhar, falar um novo idioma, entre outros. Há um mundo de possibilidades para estimular a plasticidade cerebral.

Manter um bom acompanhamento médico

Por fim, é importante que você não abandone o acompanhamento médico. Assim, será possível identificar possíveis alterações assim que elas aparecerem e os tratamentos prescritos serão mais eficazes.

Quais são as dicas finais para um envelhecimento ativo?

Algumas recomendações importantes da Sociedade Brasileira de Gerontologia e Geriatria para envelhecer com saúde:

  • cuidados com pressão arterial: a hipertensão arterial pode ocasionar uma série de problemas de saúde, tais como insuficiência cardíaca, renal, além de derrame cerebral, e arteriosclerose;
  • fuja do estresse: um dos principais problemas na transição de uma etapa da vida para o envelhecimento é a ansiedade e o estresse que isso pode causar. Portanto, recomenda-se sempre distrair a mente e evitar momentos de estresse, raiva, ansiedade e angústia;
  • não se renda à solidão: ter momentos sozinho(a) é ideal para todos. Entretanto, o isolamento completo pode levar a problemas como depressão e outras consequências graves. Portanto, a dica aqui é procurar sempre ter um momento com familiares, amigos e pessoas próximas;
  • qualidade do sono: médicos recomendam que pessoas idosas devem dormir pelo menos entre 7 e 9 horas diárias;
  • exercitar a mente: filmes, jogos, escritas, leitura, interagir com outras pessoas, são maneiras de sempre manter a mente ativa.

E as vantagens do envelhecimento ativo?

Aderindo a hábitos que tragam qualidade de vida, o idoso poderá usufruir das diversas vantagens do envelhecimento ativo. Vamos saber mais sobre algumas delas?

Estilo de vida mais favorável

Com o envelhecimento ativo, você garante um estilo de vida mais favorável, com níveis reduzidos de estresse e maior qualidade de vida. Para isso, é preciso investir em lazer e bem-estar!

Bem-estar emocional e físico

Além disso, o envelhecimento ativo promove a melhora da nossa saúde geral, ou seja, tanto física quanto emocional. Assim, ajuda a nos sentirmos melhores com nós mesmos!

Manutenção da atividade cerebral

Outra vantagem imperdível do envelhecimento ativo reside na manutenção da atividade cerebral, algo essencial para a prevenção de questões como o Alzheimer.

Melhora do convívio social e familiar

Quem não quer se dar melhor com as pessoas próximas, não é mesmo? Com o envelhecimento ativo, os idosos estão constantemente revisitando as suas habilidades sociais e têm interações muito mais proveitosas com os que estão ao seu redor.

Aprendizado constante

Um dos pilares do envelhecimento ativo é o aprendizado. Assim, o idoso pode continuar desenvolvendo novas habilidades e descobrindo coisas completamente novas, independentemente da sua idade. 

Manutenção da autonomia

Um dos problemas mais comumente relatados pelos idosos é a perda progressiva da autonomia e da independência. Com o envelhecimento ativo, essa realidade é excluída e temos pessoas que têm a vida em suas próprias mãos. 

Possibilidade de viver novas experiências

Envelhecer de forma ativa traz mais uma consequência superpositiva: a possibilidade de vivenciar novas experiências ao longo do processo. Com energia e qualidade de vida, é bem mais provável que você se sinta à vontade para explorar, aprender e viver muito mais!

Como podemos ver, conhecer os pilares do envelhecimento ativo é algo imprescindível. Com esses cuidados, podemos ter qualidade de vida e alegria pelos anos que estão por vir, garantindo mais tempo com aqueles que amamos e com nós mesmos.

Para continuar conferindo dicas de como ter um envelhecimento ativo e cuidar da sua saúde em todas as fases da vida, dê um pulo em nossas redes sociais! Você pode nos encontrar no Facebook, Instagram e no YouTube. Te vemos por lá!

Você também pode gostar
Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support